Circuito Universitário de Cinema exibe Meu Nome é Jacque, hoje, às 17h, no Instituto Pretos Novos

A terceira edição do Circuito Universitário de Cinema, que este ano elegeu o tema Intolerância como temática para discutir os filmes exibidos, estreia nesta segunda-feira, dia 12 de dezembro, no Rio de Janeiro.  Ao longo desta semana, o Instituto Pretos Novos, na Gamboa, será palco da mostra.

Hoje, às 17h, será exibido o documentário Meu Nome é Jacque, de Ângela Zoé. Quarta-feira, dia 14, às 17h, é a vez do filme Menino 23, de Belisário Franca. E sexta-feira, dia 16, às 17h, será exibido Intolerância.doc. Após as exibições, às 18h30, serão promovidos debates com a participação do professor mestre Blonson de Faria, da professora doutora Simone Pondé e da professora mestre Marta Ferreira.

O Circuito teve início dia 28 de novembro e segue até o final de janeiro em 14 estados do Brasil, entre eles: Acre, Alagoas, Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima e Tocantins.

Esta semana também serão realizadas exibições em Natal (RN), quinta-feira, dia 15, e em Vitória (ES), sábado, dia 17. A programação completa pode ser vista no facebook do Circuito Universitário de Cinema 2016.

Com patrocínio da Petrobras e realizado pela MPC Filmes, o circuito tem como objetivo fomentar, no ambiente acadêmico, o diálogo e a reflexão sobre questões de interesse nacional abordadas nos filmes exibidos, despertando nos jovens o interesse pela história do Brasil.

“Mais do que uma simples exibição de filmes, o Circuito Universitário de Cinema é um espaço de ampla comunicabilidade, constituindo-se um eficaz instrumento de divulgação e multiplicação de mensagens.  Acreditamos muito no poder de informação do cinema”, diz a diretora da mostra, Luciana Boal.

Todas as exibições são gratuitas e abertas ao público. Após cada sessão, serão promovidos debates com acadêmicos, pesquisadores, pessoas ligadas a movimentos sociais, culturais e de direitos humanos. A programação completa com as exibições em todo o país pode ser acompanhada pelo endereço do circuito no Facebook.

Para a produção do Circuito, a MPC Filmes conta com 14 Agentes Mobilizadores, responsáveis por articular as exibições nas instituições de ensino, divulgar o evento e convidar debatedores para compor as mesas de debates.

A MPC Filmes é uma produtora carioca com mais de 30 anos de experiência no mercado brasileiro e internacional. Fundada em 1982 pelo produtor e diretor Alberto Graça e tendo como sócia a produtora Luciana Boal Marinho, a MPC atua nas áreas de produção e difusão de conteúdo audiovisual.

 

Serviço:

Data: Segunda-feira, dia 12 de dezembro

Local: Instituto Pretos Novos – Rua Pedro Ernesto, 32, Gamboa

Hora: 17h

Filme: Meu Nome é Jacque

 

Data: Quarta-feira, dia 14 de dezembro

Local: Instituto Pretos Novos – Rua Pedro Ernesto, 32, Gamboa

Hora: 17h

Filme: Menino 23

 

Data: Sexta-feira, dia 16 de dezembro

Local: Instituto Pretos Novos – Rua Pedro Ernesto, 32, Gamboa

Hora: 17h

Filme: Intolerânica.Doc

 

Sinopses:

 

Intolerância.Doc

Duração: 85 minutos

Gênero: Documentário

Direção: Susana Lira

Classificação: 14 anos

INTOLERÂNCIA.DOC é um documentário que mergulha em um aspecto da sociedade brasileira pouco abordado com profundidade: o crescimento dos crimes de ódio e o que está por trás dos discursos de intolerância. Em um país que sempre foi reconhecido internacionalmente pela mistura de raças, ecumenismo de credos e até uma certa liberdade sexual, ironicamente são cada vez mais noticiados crimes de racismo, homofobia e disputas sangrentas entre gangues, torcidas organizadas e até linchamentos.

Trailer: http://globofilmes.globo.com/noticia/intolerancia-doc-trailer/

 

Menino 23

Duração: 80 minutos

Gênero: Documentário

Direção: Belisario Franca

Classificação: 10 anos

O filme segue a investigação do historiador Sidney Aguilar sobre tijolos marcados com a suástica encontrados no interior de São Paulo. Durante os anos 30, nazistas brasileiros levaram cinquenta meninos negros de um orfanato no Rio de Janeiro para a fazenda onde os tijolos foram encontrados. Lá, eles foram escravizados pelos Rocha Miranda, família que fazia parte das elites brasileira, relacionada com empresários alemães e que não escondia sua paixão pelo nazismo. Com a queda de Hitler, a família abortou o projeto e expulsou os meninos da fazenda, deixando os ao seu próprio destino. Sobreviventes compartilham pela primeira vez suas histórias.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=6nr1-ut9EQ0

 

Meu Nome é Jacque

Duração: 72 minutos

Gênero: Documentário

Direção: Angela Zoé

Classificação: 12 anos

Jacqueline Rocha Côrtes é uma mulher transexual brasileira de 55 anos, que vive com AIDS há 21. Ativista de Direitos Humanos e militante a favor dos soropositivos, Jacque tem a vida marcada por lutas e conquistas, inclusive como representante do governo brasileiro na Organização das Nações Unidas. Hoje casada e mãe de dois filhos, mora numa pequena cidade, onde leva uma vida voltada para a maternidade e a família. Ao acompanhar o cotidiano de Jacque e revisitar sua trajetória, o filme aborda a diversidade e apresenta os inúmeros desafios que foram rompidos pela personagem, levantando uma reflexão sobre o preconceito, a homofobia e a identidade de gênero.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=QqoBaviOeHU

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s